Home Destinos de Viagem Veja os países que já estão recebendo intercambistas brasileiros

Veja os países que já estão recebendo intercambistas brasileiros

0
1794

No Brasil, a procura por intercâmbio cresceu de forma vertiginosa na última década. Em 2018, números da Belta – Brazilian Educational & Language Travel Association – apontam que mais de 360 mil brasileiros saíram do País para fazer curso de idiomas, algumas vezes combinado com trabalho, graduações ou outras modalidades de intercâmbio. A movimentação financeira do setor naquele ano chegou a US$ 1,2 bilhão. Na época, a projeção para 2019 era um crescimento de 27% na procura por intercâmbio, podendo chegar a 460 mil intercambistas.

Devido à pandemia de coronavírus, iniciada em março deste ano, os números do setor de intercâmbio 2019 ainda não foram computados pela Belta. E ainda por conta da pandemia, muitos brasileiros que estavam com seu intercâmbio garantido tiveram que adiar ou cancelar os planos. O setor ficou interrompido neste período de crise, muitas escolas fecharam e os voos foram cancelados.

Agora, depois de mais de cinco meses de pandemia, as fronteiras dos países começam a ser reabertas para o turismo e também para os estudantes. Veja abaixo quais são os países que estão recebendo intercambistas brasileiros e suas exigências:

Alemanha

Estudantes de ensino superior e cursos preparatórios (que não podem ser realizados de forma online) poderão entrar no país com comprovante da universidade e quarentena obrigatória. A Alemanha faz parte do Tratado de Schengen, portanto, é obrigatório seguro viagem para entrar no país.

Austrália

O governo voltará a liberar os vistos para estudantes em todos seus consulados e embaixadas pelo mundo. Assim, quando as fronteiras forem reabertas, os estudantes com vistos já poderão entrar no país sem nenhuma restrição. Os estudantes de intercâmbio precisam do seguro viagem para entrar na Austrália, embora o país não faça essa exigência para os demais turistas.

Canadá

Para os estudantes, a quarentena de 14 dias no país é obrigatória e é preciso ter o study permit (visto de estudante) para entrada. O Canadá não exige seguro viagem para turistas e estudantes, mas a CORIS recomenda fortemente a contratação do seguro já que os preços dos serviços médicos no Canadá podem ser bastante expressivos – uma consulta médica pode custar CAD$100.

Espanha

A entrada de brasileiros com visto de estudante está liberada. É preciso ter um seguro viagem e preencher um formulário de saúde, mas não há necessidade de fazer quarentena. A Espanha é outro país pertencente ao Tratado de Schengen, portanto, é obrigatório seguro viagem para entrar no país.

França

O país permite a entrada de estudantes desde o dia 1º de julho. Porém, vale lembrar que a retomada de emissão de vistos de estudante ainda não aconteceu no Brasil. Veja mais informações no post do blog: https://coris.com.br/blog/estudantes-internacionais-terao-prioridade-para-entrar-na-franca/.

Assim como Espanha e Alemanha, a França faz parte do Tratado de Schengen, portanto, é obrigatório seguro viagem para entrar no país. Além disso, a França está exigindo um certificado de viagem e teste negativo para o coronavírus. Veja no link do Consulado: https://saopaulo.consulfrance.org/Coronavirus-Teste-PCR-certificado-de-viagem-internacional-excepcional-e.

Irlanda

Os brasileiros podem entrar no país para estudar, porém, precisam cumprir quarentena obrigatória de 14 dias e preencher um formulário de saúde. O seguro viagem para a Irlanda não é obrigatório, mas é altamente recomendado já que o sistema de saúde não é gratuito para turistas. Uma consulta de emergência pode custar cerca de 100€.

Portugal

Para a entrada de estudantes no país, é preciso um teste negativo de Covid-19, efetuado até 72 horas antes do embarque. Portugal também faz parte do Tratado de Schengen, portanto, é obrigatório seguro viagem para entrar no país.

Suíça

Os brasileiros que irão fazer curso de mais de 90 dias podem entrar no país para estudar, porém, precisam cumprir quarentena obrigatória de 10 dias. A Suíça faz parte do Tratado de Schengen, portanto, é obrigatório seguro viagem para entrar no país.