Home Destinos de Viagem Os melhores países para fazer intercâmbio

Os melhores países para fazer intercâmbio

14
7289

E quem é que não sonha em morar e estudar fora do Brasil? Além de se tornar fluente em uma nova língua e dar aquela incrementada no currículo, a experiência dá a chance de você vivenciar uma cultura totalmente diferente.

Seja para fazer um curso de idiomas ou superior, conheça os melhores destinos para fazer intercâmbio.

Irlanda

Queridinha dos brasileiros pelos cursos com preços acessíveis, a Ilha Esmeralda tem paisagens impressionantes, além de fazer parte da União Europeia, uma ótima oportunidade para viajar pelos países do velho continente. O visto de estudante dá direito a trabalhar de 20 a 40 horas semanais, dependendo do período de aulas.

Malta

Imagine estudar inglês em um arquipélago paradisíaco no Mar Mediterrâneo? A pequena Malta é reconhecida pela vida noturna agitada e patrimônio histórico sem igual. Para cursos de longa duração, é necessário ter uma carta de aceitação emitida pela escola, seguro viagem com mínimo de € 30 mil de cobertura e comprovação de renda, já que o visto de estudante não permite trabalhar.

Austrália

O destino é perfeito para quem quer aprender um novo idioma e conhecer paisagens naturais incríveis, como montanhas, desertos e florestas. A fauna rica também é um atrativo à parte. Com clima muito similar ao do Brasil, a Austrália tem opções de programas de estudo e trabalho para cursos superiores a 14 semanas.

Estados Unidos

O país dispensa apresentações quando se trata de intercâmbio, graças a sua influência cultural e acadêmica. Aqui, você estará próximo de destinos ilustres como Miami, Orlando e Nova York. Apesar de oferecer todo tipo de incentivo aos seus estudantes, locais e estrangeiros, o processo para o visto é burocrático comparado aos demais destinos e não é permitido trabalhar durante o curso.

Canadá

O segundo maior país do mundo tem cenários magníficos e cidades cosmopolitas. Com um processo simples e fácil para obtenção do visto, possibilita aprender duas línguas (o francês e o inglês), o que o torna ainda mais atrativo para os estudantes. Durante os estudos, apenas cursos superiores ou profissionalizantes permitem trabalho de 20 horas semanais.