Home Dicas de viagem Fique atento para os golpes feitos em turistas

Fique atento para os golpes feitos em turistas

7
889

Estar em um país estrangeiro pela primeira vez pode ser muito animador, mas sempre há oportunistas que se aproveitam das dificuldades dos turistas para tirar vantagem. Muitos dos golpes desse tipo já são bastante conhecidos e simples de evitar. Por isso, preparamos algumas dicas sobre os truques mais famosos.

Taxistas malandros

Em muitos lugares do mundo, os taxistas se recusam a ligar o taxímetro e querem combinar um valor fixo no início da corrida. No entanto, se o turista não fala o idioma local e não conhece as distâncias ou os valores comumente cobrados no destino, pode pagar uma quantia absurda. Também acontece de o taxímetro não ser ligado e um valor altíssimo ser informado no final, ou de o motorista combinar um preço e, ao chegar ao destino, cobrar mais caro dizendo que você não entendeu o preço correto por causa da barreira linguística.

Outro golpe comum é dizer que a cédula do pagamento é falsa e pedir outra do mesmo valor. Por não conhecer o dinheiro do país, muitos acabam ficando constrangidos e cedem à chantagem.

Como evitar: utilizar aplicativos de transporte é uma boa alternativa. Baixe o mapa da cidade no Google Maps e veja se o trajeto é mesmo tão distante. Serviços como Uber ou Cabify já informam o valor da corrida antes mesmo de chamar um motorista.

Se pegar um táxi for sua única opção, porque em alguns países ainda não é permitido o uso de aplicativos de transportes, tente utilizar veículos oficiais de aeroportos e shoppings, ou aqueles recomendados por hotéis. Também procure usar sites que simulam o preço da corrida em várias cidades. Dessa forma, você saberá se o preço cobrado pelo motorista é abusivo. Além disso, se tiver como ficar conectado durante o trajeto, confira se o motorista não está dando voltas desnecessárias apenas para cobrar mais caro.

A atração não funciona naquele dia

O turista chega todo animado para conhecer aquele ponto turístico tão famoso, mas é abordado por uma pessoa dizendo que o local está fechado. Em dias de pouco movimento, os locais podem dar a impressão de que está realmente fechado, então é fácil de acreditar na mentira. Esses simpáticos guias então oferecem um passeio alternativo já que os visitantes já estão por ali e esse serviço é cobrado, mesmo que por uma agência.

Como evitar: confira se há mais de uma entrada para a atração, já que uma pode ser mais movimentada que a outra, e confira na portaria se a atração está realmente fechada. Essa informação também pode ser conferida pela internet, pois a maioria dos locais possui o horário de funcionamento no site oficial, também informando sobre possíveis imprevistos. Vale a pena se informar antes mesmo de sair do hotel.

Criando tumultos para te distrair

Há situações em que os golpistas agem em grupo. Alguém derruba um objeto no chão, por exemplo, e agacha para pegá-lo, fechando a passagem. O tumulto distrai o viajante, que nem percebe seus objetos pessoais sendo furtados. A situação acontece principalmente em saídas de trens, metrôs e de suas estações.

Como evitar: opte por usar porta-dólares, as famosas “doleiras”, para levar dinheiro e documentos. Esse acessório é similar a uma pochete, mas é fino e pode ser colocado por dentro da roupa. Se precisar levar uma câmera ou outro objeto maior, fique sempre com a mochila na sua frente em transportes coletivos. Dessa forma, você tem uma visão constante dos seus pertences. Fique atento o tempo todo em locais de grande circulação de pessoas, pois um simples esbarrão pode ser o suficiente para um batedor de carteiras habilidoso.

Bilhetes de metrô falsos

Em muitas estações de metrô e trem, algumas pessoas se colocam ao lado da bilheteria ou das máquinas que vendem os bilhetes e oferecem os tickets, como uma alternativa para não ter que pegar filas, lidar com um idioma desconhecido ou com o sistema das máquinas de autoatendimento, que podem ser um pouco complicados à primeira vista. No entanto, o valor costuma ser mais alto que o preço oficial, e muitas vezes os tickets são falsos ou já foram utilizados. Ao chegar na catraca, o vendedor já desapareceu e é impossível pedir o dinheiro de volta.

Como evitar: basta ter paciência e adquirir os tickets apenas nos pontos de vendas oficiais das estações, que costumam ser bem sinalizados. Outra opção é adquirir cartões de turista que oferecem transporte gratuito para vários dias, oferecidos em vários destinos ao redor do mundo.

Fotógrafo de araque

O “gentil morador” local se oferece para tirar uma foto sua e logo em seguida cobra pelo serviço, sem avisar previamente. Em outras situações, pode ser ainda pior, e o ladrão aproveita para sair correndo com sua câmera ou celular na mão. Isso normalmente ocorre em locais cheios, onde é fácil se misturar na multidão.

Como evitar: observe se há outros turistas como você, tirando fotos com seus próprios equipamentos, e peça que eles tirem a sua foto. Geralmente, ainda é possível retribuir o favor fotografando a pessoa depois. Se o local tiver atendentes, peça para um dos funcionários tirar a foto. Desconfie de pessoas que se ofereçam para ajudar sem motivo aparente.

Presente bem caro

Alguns golpistas circulam em pontos turísticos famosos e colocam colares e pulseiras nos turistas afirmando ser um presente. Em seguida, tentam cobrar pelo objeto e fazem um escândalo caso o turista se recuse a fazer o pagamento. Por vergonha, muitos acabam caindo e dando o dinheiro.

Como evitar: recuse qualquer tentativa de colocar acessórios sem que você esteja realmente com intenção de comprar. Se mesmo assim o vendedor insistir, seja firme, informe que não pediu o serviço e vá embora sem que ele tenha tempo de fazer uma cena.

7 COMMENTS

Comments are closed.