Home Intercâmbio As sete bolsas de estudo mais famosas para brasileiros

As sete bolsas de estudo mais famosas para brasileiros

3
1762

Estudar no exterior é um sonho para muitos brasileiros. No entanto, realizar este sonhos pode sair muito caro e acabar não acontecendo, principalmente em tempos de dólar e euro em alta.

Mas é possível conseguir uma ajudinha nos custos com uma bolsa de estudo, o que melhora – e muito – o orçamento para um intercâmbio de estudos. Conseguir uma bolsa exige dedicação e é necessário cumprir alguns requisitos e burocracias, mas vale muito a pena!

Separamos abaixo as sete bolsas de estudo mais famosas para brasileiros. Confira!

Chevening

Universidade de Oxford, Inglaterra

O programa Chevening concede bolsas de estudo para estudantes de mais de 160 países. Por sorte, o Brasil é um deles! O foco destas bolsas são pós-graduações de um ano no Reino Unido, sejam elas mestrados ou MBAs. A bolsa cobre as passagens de ida e volta para o local de estudos, a emissão do visto, auxílio para a instalação, além de incluir um valor mensal para despesas pessoais.

Alunos de qualquer área de atuação podem se candidatar, mas é necessário possuir perfil de liderança e um excelente desempenho acadêmico. Outros requisitos são:

  • Ter um diploma de graduação que permita entrar em um programa de pós-graduação no Reino Unido;
  • Possuir dois anos de experiência profissional;
  • Inscrever-se em pelo menos três cursos elegíveis do programa e ser aceitado por um deles;
  • Comprovar proficiência em inglês por meio de exames como IELTS e TOEFL;
  • Ter clareza de como o curso poderá impactar seu futuro e até mesmo beneficiar seu país de origem.

Da inscrição até o recebimento da bolsa, o processo pode ser bastante longo, mas conta apenas com duas etapas fundamentais: a inscrição, em que é necessário enviar toda a documentação exigida e cartas de recomendação, e uma entrevista na embaixada ou consulado britânico, que é feita em inglês.

Fulbright

Universidade de Notre Dame, Indiana, Estados Unidos

A Fulbright também é direcionada para estudos de pós-graduação, mas o destino são as universidades dos Estados Unidos. Embora seja um único programa, há diversas possibilidades: doutorado sanduíche, doutorado integral, bolsa para ensinar português, atuar como pesquisador visitante, entre outros. Cada edital conta com requisitos diferentes, por isso, é preciso ficar atento na hora de inscrição.

Hubert H. Humphrey

Universidade de Michigan, Estados Unidos

Parte do programa Fulbright, a Hubert H. Humphrey Fellowship é direcionada para profissionais com pelo menos cinco anos de carreira depois de formados, que atuem no setor público ou no terceiro setor (ONGs). É possível fazer um curso de aperfeiçoamento de até dez meses.

Esta bolsa oferece uma combinação de oportunidades acadêmicas e profissionais e cobre todas as despesas do bolsista. Entre as áreas incluídas estão desenvolvimento sustentável, saúde pública e fortalecimento de instituições democráticas.

Eiffel

Universidade de La Martinière, Lyon, França

Como se pode imaginar, as bolsas Eiffel são um programa oferecido pela França, coordenado pelo Ministério das Relações Exteriores e Europeias do país. Ele já existe há mais de 20 anos e oferece benefícios variados, de acordo com o nível de formação dos alunos.

Todos os bolsistas recebem passagens aéreas, seguro saúde e ajuda de custo para atividades culturais, além de um apoio financeiro mensal. A anuidade da universidade não é coberta, mas é possível se candidatar também a bolsas oferecidas pelas próprias instituições.

São quatro áreas de estudo contempladas:

  • Direito;
  • Economia e gestão;
  • Ciências políticas;
  • Engenharia para mestrado, ciências da engenharia e ciências exatas para o doutorado.

Os candidatos de mestrado devem ter até 30 anos e os de doutorado, 35. Quem inscreve os alunos é a própria universidade. Primeiro, o candidato deve ser aceito em um dos cursos, e então manifestar seu interesse pela bolsa Eiffel.

DAAD

Universidade de Colônia, Alemanha

Deutscher Akademischer Austauschdienst (DAAD), ou Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico, é uma organização sem fins lucrativos que trabalha com mais de 200 instituições de ensino superior na Alemanha. Esta é nada menos que a maior organização do mundo em programas de intercâmbio de estudantes e pesquisadores, com 95 anos de história. São cerca de 250 programas diferentes que já apoiaram 1,9 milhão de estudantes no mundo todo.

As bolsas do DAAD são para as mais diversas áreas de estudo – desde medicina e engenharia até música e arte, abrangendo cursos de doutorado integral ou sanduíche, mestrado, especializações, pesquisa, visitas de estudo e até cursos de alemão de curta duração. Entre os editais, é possível encontrar vários em parceria com agências brasileiras como CAPES e CNPq.

Instituto Weizmann de Ciências

Tel Aviv

Este é um dos principais institutos multidisciplinares do mundo. Situado em Rehovot, em Israel, a cerca de 25 km de Tel Aviv, conta com mais de 3 mil cientistas, técnicos de laboratórios e estudantes.

Também oferece diferentes oportunidades, desde cursos de verão até projetos de pesquisa, muitas vezes em parceria com agências brasileiras, como o CAPES.

Endeavour

Universidade de Sydney, Austrália

O Endeavour Leadership Program oferecem bolsas integrais para as melhores instituições de ensino da Austrália. Isso significa que todas as bolsas incluem passagens de ida e volta, mensalidade do curso, ajuda para alojamento, seguro saúde e mais ajuda de custo, com o total podendo ultrapassar US$ 250 mil.

São várias modalidades de programas em que é possível conseguir bolsa:

  • Pós-graduação: estudos completos de mestrado (até dois anos) ou doutorado (até quatro anos);
  • Pesquisas de pós-doutorado de curto prazo (quatro a seis meses) ou dentro de um programa de mestrado ou doutorado iniciado no país de origem;
  • Educação e treinamento vocacional: desenvolvimento de habilidades ocupacionais ou relacionadas ao trabalho em cursos técnicos de até dois anos e meio;
  • Executivo: para profissionais já avançados na carreira que buscam desenvolvimento, estágio ou visita técnica.

Todos os candidatos devem comprovar proficiência em inglês por meio dos exames TOEFL ou IELTS, a não ser que já tenham feito pelo menos um ano de graduação em país de língua inglesa.

3 COMMENTS

Comments are closed.